Arquivo

Archive for the ‘Trabalho de SEO’ Category

O fim de um capítulo

Ontem foi meu último dia na empresa. Eu tentava não pensar, não queria chorar e nem fazer drama. Consegui me segurar (quase) o dia todo, apesar dos meus colegas me olharem toda hora como se eu estivesse para morrer. “Ah, não acredito que você não vai mais estar aqui amanha”, “nosso último almoço juntas”, “A última vez que vamos conversar no Skype”, “nosso último café na empresa”… Em num desses “a última vez que…” não consegui me segurar.

Eu cheguei a Londres há apenas seis meses e meus colegas da Englishtown são meus únicos amigos por aqui. É com eles que saio (saia?) toda sexta-feira. Sei que vou continuar morando na cidade e não será difícil encontrá-los, mas também sei que não irei vê-los com tanta freqüência.

Escrevi uma carta me despedindo de todos da empresa e postei no Yammer – que funciona como o Twitter, em que as pessoas compartilham informações – mas é fechado para os funcionários da empresa dona da conta. Eu sempre fui uma das mais ativas por lá, e por isso o Lorenzo brincava dizendo que eu era uma Spammer do Yammer.

Na hora de ir embora, alguns me acompanharam até a porta. Não nos despedimos dramaticamente porque quinta-feira vai ter uma festa de despedida pra mim. Foi bom, porque nos despedimos dizendo “até quinta, então”. E eu não chorei tanto. Ontem terminava um importante capítulo da minha vida e estou ansiosa para saber como será o próximo, que começa segunda-feira, na I Spy.

O dilema

Para mim, nada é tão difícil quanto tomar decisões. Até mesmo as mais corriqueiras viram um dilema. Eu lembro de uma vez que fui a um restaurante com a minha irmã. Já não era horário de pico e por isso havia vários lugares disponíveis. Mudei de mesa umas dez vezes, só decidi quando ela começou a se irritar comigo. Perto da janela, longe do banheiro, longe da porta, fora da passagem do garçom… Todas tinham seus prós e contras e nenhuma era perfeita.

Semana passada eu vivi um dilema um pouco mais sério. Depois de mais de quinze dias indo a inúmeras entrevistas, recebi duas propostas ao mesmo tempo. A primeira foi da I Spy, que eu escrevi nesse post que tinha aceitado a proposta. Logo depois, a Dot Seo, onde fiz a entrevista com o brasileiro em inglês, também me ofereceu a vaga.

Eu já tinha aceitado a proposta da I Spy, mas a Dot Seo me ofereceu um salário um pouco melhor e a descrição do trabalho parecia mais atraente. Enquanto na I Spy eu deveria ficar no time de SEO, responsável por otimização e link building apenas, na Dot Seo eu seria gerente de contas, fazendo SEO, PPC e atendimento ao cliente.

O salário, apesar de importante, não pesava tanto na minha decisão. O que eu tinha que escolher era: eu quero me especializar em SEO e fazer somente isso por um bom período ou eu quero fazer um pouco de tudo?

A primeira vista, fazer um pouco de tudo me parecia melhor. A Dot Seo parecia muito interessada que eu integrasse o time deles e eu tinha me simpatizado imediatamente com o Alex, o brasileiro que me entrevistou. Por tudo isso, mesmo já tendo aceitado a oferta da I Spy, aceitei também a oferta da Dot.

Mesmo assim, eu continuava pensando. Quem me indicou para a I Spy foi o Gustavo Bacchim. Ele conhece a agência e disse que o amigo dele que trabalha lá fala muito bem da empresa; Que os colegas são bacanas, o treinamento excelente e que a I Spy está crescendo rapidamente em Londres. A minha outra dúvida contra a Dot Seo era: será que eu conseguiria fazer de tudo um pouco e fazer tudo bem? Será que vou conseguir gerar bons resultados para todos os clientes fazendo atendimento, PPC e SEO ao mesmo tempo?

Sexta-feira eu acordei com dois empregos. Eu tinha falado sim para as duas agências e agora precisava recusar a oferta de uma delas. Eu fiz uma pesquisa com a Englishtwon inteira. Pedi a opinião de todos – desde meu chefe até o faxineiro. Cada um achava uma coisa e eu mudava de idéia após cada conversa. Eu estava mais inclinada para a Dot Seo, mas ainda não tinha certeza.

Sexta-feira a tarde enviei um e-mail para a I Spy dizendo que eu tinha recebido uma proposta melhor e que não iria trabalhar com eles. Eu disse que na Dot Seo eu iria fazer mais do que SEO, que eles me ofereceram revisão de salário em três meses e que eu tinha a impressão de que eles estavam mais interessados que eu integrasse o time deles.

Logo depois de eu enviar o e-mail, o Matt da I Spy me ligou, aumentando a oferta de salário e disse que, apesar de eu ficar no time de SEO, terei treinamento em outras áreas da empresa. Ele também me disse que vários candidatos foram entrevistados e que obviamente eles me queriam no time.

Continuei pesando os prós e contras das duas ofertas o final de semana todo. Eu queria poder me dividir em duas, porque acho que ambas oportunidades são fantásticas. Se eu tivesse recebido uma só proposta eu teria aceitado qualquer uma delas feliz da vida, mas esse dilema me consumiu a semana toda!

Hoje eu me decidi de vez pela I Spy. Escolhi me especializar em SEO. Essa  profissão está crescendo e eu quero ser muito boa nisso. PPC é fácil e pode esperar, gerente de contas eu posso ser mais tarde.

Eu só sinto que eu tenha que dar início a minha nova fase profissional desapontando alguém. Espero que o Alex da Dot Seo consiga me entender. Espero que os diretores da I Spy não estejam irritados com a minha quase mudança de idéia. Espero ter feito a melhor escolha. E, mais do que tudo, espero aprender a tomar decisões mais rapidamente. Ganhei algumas rugas vivendo todo esse dilema!

Meu próximo trabalho em Londres

Recebi uma oferta  da agência I Spy Marketing, onde apresentei meu trabalho ontem. Mostrei a proposta da I Spy para o Antonio, líder dos SEOs na Englishtown, e ele me aconselhou a não aceitar antes de perguntar três coisas: se o contrato é permanente, o período de experiência e qual seria o tempo de aviso prévio. Eu estava um pouco ansiosa e enviei as três perguntas sem pensar. O Matt, responsável pela minha contratação na agência, respondeu as minhas questões, comentando no final que a minha ultima pergunta passa a impressão de que eu estou pensando em sair da empresa mesmo antes de entrar. Arghhtt, que fora!

Eu comecei a escrever outro e-mail explicando que eu queria conhecer todos os detalhes do contrato e que…SEU EMAIL FOI ENVIADO COM SUCESSO. Nãaaaaaaaaooooo! A porcaria do MSN simplesmente enviou o meu e-mail assim, pela metade!!!

Eu comecei a dar pulos na cadeira, O QUE EU FACO AGORAAA? Escrevi rapidamente mais um e-mail explicando que o e-mail anterior tinha sido enviado por engano e que sim, eu aceito a proposta. Enviei e fiquei esperando a resposta que não vinha. Eu comecei a imaginar os três que me entrevistaram reunidos naquela sala com o computador na parede reavaliando a minha contratação.

A Carol, espanhola que trabalha do meu lado, percebeu a minha agitação e me aconselhou a ligar pra eles. Eu não tenho crédito no meu celular, respondi quase chorando. Liga do meu celular, ela falou enquanto me entregava o IPhone dela, meu sonho de consumo.

Liguei e falei com o Grant e depois com o Matt. Os dois me falaram que ainda não tinham visto meu e-mail pela metade e que o Matt estava brincando, eles entendiam a minha pergunta. Enfim, fora atrás de fora!

Eles pediram para eu começar dia 24 de maio e meu contrato termina dia 14 de junho apenas. Conversei com o Antonio e ele disse que eu posso aceitar a data, mas para assinar o contrato primeiro antes de pedir o rompimento com a Englishtown.

Depois de toda a emoção de hoje, estou mais tranquila agora, cheia de planos, e não vejo a hora de começar meu novo trabalho. Acho que vai ser desafiador, mas uma ótima oportunidade para eu ficar fera em marketing online.

Apresentação de trabalho na entrevista

A agência que me entrevistou ontem pela terceira vez fica em Covent Garden. Dessa vez eu peguei o metrô e cheguei bem antes das seis da tarde. Fiquei olhado as vitrines das lojinhas enquanto tentava me acalmar. Essa não seria uma entrevista como outra qualquer, mas a apresentação da análise de um site sob a perspectiva de SEO, que eu passei o final de semana inteiro preparando.

Quem me recebeu foi a Charlotte, recepcionista da agência. Ela me encaminhou para uma sala, deu-me um copo d’água e me deixou sozinha. Em cima da mesa, um mouse e teclado sem fios. A tela fina e grande do computador, pendurada na parede.  Fiquei lendo o Heralds, jornal gratuito que peguei na estação de metrô, por um bom tempo. E então chegou o Nic, o diretor de marketing, pedindo desculpas pelo atraso.

Conversamos rapidamente e logo ele sugeriu que eu desse início a minha apresentação. Comecei pedindo para ele me avisar caso fosse necessário detalhar melhor algum ponto ou passar mais rápido o que fosse muito óbvio para ele. Apresentei slide por slide, ponto por ponto, e ele parecia me escutar com atenção. Fez poucas anotações e nenhuma pergunta.

Quando terminei, ele disse que o meu trabalho estava muito próximo com o que eles fariam na agência e que eu parecia muito confortável durante a apresentação. Ele também disse que queria ver como seria o meu inglês nesse tipo de situação, confirmando a minha suspeita: se eu fosse nativa na língua inglesa, iria precisar apenas enviar a minha apresentação por e-mail. “Vou dar meu feedback positivo e dizer que eles podem seguir com a sua contratação”, disse-me no final.

Antes de sair eu perguntei se poderia postar a apresentação no meu blog e ele pediu que eu não a publicasse, já que podem querer usá-la mais tarde.

Saí sem nenhuma proposta concreta, mas com a feliz suspeita de ter encontrado meu próximo local de trabalho.

Entrevista em inglês com um brasileiro

Hoje eu tive uma entrevista bem bacana. Tirando o fato de eu ter chegado com meia hora de atraso, acho que o resto correu bem.

Como ainda trabalho na Englishtown, sempre marco as entrevistas no meu horário de almoço ou no final da tarde. Essa de hoje estava marcada para as 14 horas. A empresa, uma agência especializada em marketing online, fica perto de London Bridge. Como eu trabalho em Sloane Square e os dois locais ficam no centro, zona 1, de Londres, achei que sair com uma hora de antecedência seria suficiente.

O pior é ter que avisar aos meus superiores que não poderei participar da reunião ou que terei que sair mais cedo porque tenho entrevista. Todos os meus colegas sabem e me desejam boa sorte. Situação um pouco estranha. Eu me sinto como se estivesse avisando ao meu namorado que vou chegar mais tarde porque vou dar uma paquerada.

Mas, voltando à entrevista, o Alex não pareceu muito chateado com o meu atraso. Pedi mil desculpas, claro, mas talvez ele estivesse esperando já que o transito de Londres é terrível.

A entrevista começou com a pergunta clássica: como você começou a trabalhar em SEO? Eu não tenho uma resposta muito longa para essa questão, já que comecei há quatro meses apenas. Ele fez algumas perguntas técnicas sobre PPC, que eu não soube responder, e outras sobre como faço link building. Ele também me perguntou quais são as indústrias mais difíceis de se trabalhar SEO. Eu lembrei da conversa que tive com o Gustavo Bacchim outro dia. Ele faz SEO para um cassino online e me contou como é difícil construir links e conseguir ranking em 10 palavras curtas, sem long tail. Eu disse exatamente isso e ele concordou, adicionando também a indústria financeira.

Foi a primeira vez que o entrevistador falou mais do que eu. Ele me disse que não quer alguém com muita experiência, mas que esteja disposto a escrever para o blog da empresa e outros do mercado, que goste e queira aprender muito sobre SEO. Ele também me disse que eu a pessoa contratada não vai ficar muito concentrada em Link Building, mas sim gerenciar várias contas. Se ele quer alguém sem experiência e com muita vontade, essa sou eu!

É claro que ele falou tudo isso em inglês e somente depois de quase 1 hora de conversa ele me chocou com a revelação de que é brasileiro. Eu reconheço sotaque de brasileiro nas duas primeiras palavras e ele não tinha absolutamente nenhum! No final da entrevista ele começou a falar em português, também perfeito. Ele me contou que nasceu em Londres e morou no Brasil, mais precisamente em Itapetininga, quando era criança, já que a mãe é brasileira.

Quando ele estava me encaminhando para a porta ele disse, em português, que ainda vai entrevistar outras pessoas e me dá uma resposta até o final desta semana. Fingers crossed, como se diz por aqui.

Amanhã tenho a terceira entrevista em uma outra agência online. Vou fazer uma apresentação de análise de um site. Eu tinha publicado a apresentação aqui ontem, mas achei melhor tirar. Vai que não pode! Amanhã, depois da entrevista, publico de novo.

Espero conseguir um novo trabalho ainda essa semana. Estou exausta! Cada entrevista fica em um local diferente de Londres e eu tenho que pegar ônibus, metrô, caminhar de salto alto… Fora que Londres está ficando quente. Hoje no ônibus, a caminho para a entrevista, vi vários executivos de terno e gravata sentados na grama das praças, comendo e relaxando. Eu fui almoçar hoje às quatro da tarde, na frente do meu computador, depois que voltei da entrevista. Enfim, isso vai acabar logo. Finger crossed!

Mudanças à vista. Procurando novo trabalho de SEO em Londres

Nos últimos quatro meses eu tenho trabalhado como especialista em SEO para a Englishtown. Eu tinha experiência com Marketing de quando morava no Brasil, mas sabia pouco sobre marketing digital e não tinha idéia do que era link building. Mesmo assim a empresa me acolheu e eu tive a sorte de trabalhar com pessoas supreendentemente bacanas e competentes. E é com um pouco de tristeza que eu anuncio que meu contrato, que vence em junho, não será renovado.

São raras as empresas que treinam o funcionário desde o início. Lorenzo e Antonio, os especialistas em SEO mais experientes, estão sempre disponíveis para  esclarecer minhas dúvidas. Linda e Clemence, responsáveis respectivamente pelos sites da Alemanha e França, chegaram antes de mim e também me ajudaram sempre que precisei. Alex e Júlio são os gerentes e eu duvido que existam chefes mais legais. Ainda tem a Carol, responsável pelo site da Espanha, que vive dando bons toques sobre Social Media. Annais, Sílvia e Stefano são os responsáveis pelas vendas na Europa e eu os escuto falar por telefone em Francês, Alemão e Italiano o dia inteiro. Vou sentir falta de todos. Sem contar que aqui toda sexta-feira tem happy hour. Cerveja e comida de graça dentro do escritório, que é lindo, grande e bem central em Londres.

Mas então por que eu estou sendo louca de sair dessa empresa? Durante a entrevista já tinham me avisado que o cargo seria temporário. A idéia era melhorar a visibilidade do site através de otimização e link building durante seis meses apenas. Agora, eles gostaram dos resultados e querem continuar com o trabalho de SEO – mas no Brasil. Manter um funcionário em Londres custa quase o dobro do que custaria por aí.

Por um tempo eu namorei a idéia de voltar para o Brasil e continuar meu trabalho na Englishtown do escritório de São Paulo. Eu estaria perto da minha família, amigos, comida boa, clima tropical… Mas não é o momento ainda.

O mercado para SEO aqui em Londres está super em alta. Eu não tenho encaminhado muitos CVs e mesmo assim não tem um dia que alguma empresa ou agência de recrutamento não me ligue para marcar entrevista. Em contrapartida,  eu tenho apenas 4 meses de experiência e meu inglês, apesar de bom, não é e nunca será como o de um nativo.

Por enquanto fui a entrevistas em 4 empresas. Duas delas já me responderam negativamente por estarem procurando profissionais com mais experiência. Uma outra é concorrente da Englishtown e me fez uma oferta, mas menos do que eu quero – e sei que é possivel –  ganhar por aqui. A última me pediu para voltar para uma terceira entrevista, que seria hoje, mas foi adiada.

Vou contar por aqui a minha saga a procura de um novo emprego como SEO em Londres. E você, se estiver interessado em ocupar meu cargo atual em São Paulo, envie-me seu CV. A Englishtown é uma empresa incrível para se trabalhar e eu vou ser sempre grata a esse time por ter me acolhido tão bem e me apresentado a essa profissão pela qual eu me apaixonei, que é de especialista em SEO.

%d blogueiros gostam disto: